Protocolo Elefante é um dos espetáculo do Movva, recorte de dança do Festival de Curitiba (Foto: Cristiano Prim/Divulgação)

O Festival de Teatro de Curitiba estreia neste ano um espaço dedicado à dança. Entre os dias 29 de março e 8 de abril, o Movva vai apresentar cinco espetáculos ao público, em vários espaços da capital paranaense. As atrações são: “Para Que o Céu Não Caia”, “Protocolo Elefante”, “Transobjeto”, “Quando se Calam os Anjos” e a mostra de Solos Vera Mantero, de Portugal, que abriga “Olympia” e “O que Podemos Dizer do Pierre”.

Com apresentações nos dias 29 e 30 de março, Protocolo Elefante , do grupo catarinse Cena 11, trata de questões ligadas à separação e à solidão. Já “Para que o Céu não caia” traz uma reflexão sobre as condições climáticas e as catástrofes vividas pelo mundo hoje.

“Quando se Calam os Anjos”, da Curitiba Cia de Danca, realça um universo pós-moderno virtual com cenas criadas num jogo de luz, sons e movimentos. De forma divertida, Transobjeto mostra o homem do dia a dia, com sua rotina estranha e, ao mesmo tempo, comum.

Inspirada na pintura realista “Olympia”, criada por Édouard Manet em 1863, Vera Mantero cria o espetáculo de dança contemporânea a partir da leitura de trechos da obra “Asfixiante Cultura”, de Jean Dubuffet. Já o espetáculo “O que Podemos Dizer do Pierre”, Vera Mantero faz uma improvisacao ao som da voz de Gilles Deleuze.

Encontros
Além das apresentações, serão promovidos encontros para o público ligado à dança, no Sesc Paço da Liberdade, a fim de debater diversos aspectos da arte e das próprias apresentações, com a participação dos criadores dos espetáculos. As inscrições são gratuitas e devem ser feitas por e-mail.

Wagner Schwartz, da peça “Transobjeto”, irá ministrar oficina no SESC Paço da Liberdade, dias: 7, 8 e 9 de abril, das 10h às 12h. Alejandro Ahmed e Mariana Romagnani, coreógrafo e diretora do espetáculo “Protocolo Elefante”, coordenam a oficina ‘Percepção Física e Composição Generativa’, na Casa Hoffmann, dias 30 e 31 de março, as 10h.

A programação conta ainda com o Encontro com a coreógrafa Lia Rodrigues (Companhia de Dança) e Vera Mantero, coreógrafa e bailarina com mediação de Sônia Sobral, dia 5 de abril às 14h.

Sobre o Festival
A 26ª edição do Festival de Curitiba começa em 28 de março. A programação segue até 9 de abril com artistas em espetáculos para todas as idades e bolsos. Na Mostra Oficial serão 38 atrações, três internacionais e oito estreias nacionais. O Fringe, recorte do festival com participação livre, sem curadoria, completa 20 edições e terá 11 mostras especiais – uma delas portuguesa, com cinco espetáculos. Ao todo, são 303 montagens em cartaz, 45 delas com apresentações de rua e 66 espetáculos gratuitos. Confira a grade de programação.

Além dos espetáculos, performances, intervenções e dos dois shows musicais, a programação inclui ainda uma série de ações, oficinas, conversas após as peças, encontro

de crítica e curadoria e outras atividades de estimulo à formação do pensamento, às trocas entre artistas e entre artistas e público. Veja a programação completa.

Veja os horários dos espetáculos do Movva:

O Que Podemos Dizer do Pierre/Olympia: Mostra de Solos – Vera Mantero (Portugal)
Dias 6 e 7 de abril às 21h
Teatro da Reitoria

Protocolo Elefante – Grupo Cena 11
Dias 29 e 30 de março às 21h
Teatro da Reitoria

Transobjeto- Performance Wagner Schwartz
Dias 3 e 4 de abril às 21h
Teatro da Reitoria

Para Que o Céu Não Caia – Criação e direção Lia Rodrigues
Dias 4 e 5 de abril às 21h
Espaço Thá

Quando se Calam os Anjos – Curitiba Cia da Dança
Dias 8 de abril às 21 horas e 09 de abril às 19h
Teatro da Reitoria

Preços: R$70,00 (inteira) / R$35,00 (meia) + taxa administrativa