O Londrina é campeão da Primeira Liga! O Tubarão bateu o Atlético-MG por 4 a 2 nos pênaltis, na noite desta quarta-feira, no estádio do Café, e ficou com a taça da competição. Diante de 15.735, as equipes ficaram no 0 a 0 no tempo normal. A equipe do técnico Claudio Tencati levou o título de forma invicta.

O herói do título é mineiro, de Uberaba, mas deu o título para o Londrina. César foi decisivo nas disputas de pênalti, na semifinal contra o Cruzeiro, e na decisão de hoje, contra o Atlético-MG. Ao todo, foram cinco defesas de penalidades nos dois jogos. Mostrando mais uma vez que tem estrela, o arqueiro foi o nome da conquista alviceleste, parando os chutes de Clayton e Rafael Moura.

PRIMEIRO TEMPO

A final começou agitada entre as equipes no Café. No jogo brigado, quem chegou primeiro ao ataque foi o Galo, que assustou com Alex Silva, aos sete minutos, em cruzamento rasteiro. Enquanto tentava se defender e apostava nos erros do Galo, o Londrina teve a primeira boa chance aos 18 minutos, quando Rômulo arriscou de fora da área e exigiu a defesa de Victor. Em seguida foi a vez de Artur ficar no “quase”. O camisa 7 carregou a bola, trouxe pra canhota e finalizou à esquerda do gol. Empurrado pela torcida, o Tubarão equilibrou o jogo e quase abriu o placar aos 25, quando Negueba disparou uma bomba de perna direita e obrigou Victor a fazer um milagre.

O Galo melhorou a marcação, mas continou sendo pressionado pelos donos da casa. O time mineiro chegou mais uma vez com Valdívia, que chutou forte da meia lua, mas a bola subiu demais. Depois, o meia teve outra chance, quando saiu na cara do gol, mas foi travado por Ayrton. O herói do título é mineiro, de Uberaba, mas deu o título para o Londrina. César foi decisivo nas disputas de pênalti, na semifinal contra o Cruzeiro, e na decisão de hoje, contra o Atlético-MG. Ao todo, foram cinco defesas de penalidades nos dois jogos. Mostrando mais uma vez que tem estrela, o arqueiro foi o nome da conquista alviceleste, parando os chutes de Clayton e Rafael Moura.

SEGUNDO TEMPO

Os visitantes voltaram mais ligados mais ligados no segundo tempo e tomaram a iniciativa da partida. O Galo quase abriu o placar com Valdívia, que por pouco não fez um gol olímpico. Acuado, o Londrina não conseguia furar bloqueio defensivo do Atlético-MG e só assustou aos 20 minutos, em uma cabeçada perigosa de Dirceu. Truncada, a partida caiu de ritmo no Café, sem grandes emoções até o apito final. Sem gols no tempo normal, a taça foi decidida nos pênaltis.

 

COMPARTILHE