Imagens aéreas mostram estragos na Penitenciária de Cascavel após rebelião

Penitenciária Estadual de Cascavel (PEC), no oeste do Paraná, depois do fim da rebelião que durou 43 horas. Vinte e oito presos e três agentes penitenciários ficaram feridos, segundo o Departamento Penitenciário do Estado do Paraná (Depen). Além disso, um preso foi morto decapitado.

O diretor do Depen, Luiz Alberto Cartaxo de Moura. garantiu que mesmo com os estragos os presos permanecerão na PEC.

“Nós encontramos uma unidade com sérios prejuízos, porém nada comparável ao que aconteceu em 2014. O que temos é uma unidade que poderá ser utilizada com muitas reservas de segurança”, disse.

Dois túneis foram encontrados na PEC, segundo o departamento. O Depen disse que ainda não possui a confirmação de número de fugitivos, o que só será possível após a contagem dos presos e levantamento final sobre os danos estruturais da penitenciária.

O diretor ressaltou que as visitas de familiares foram suspensas na PEC, até que se concluam as reformas no local. Apenas policiais, agentes e funcionários que prestam serviços na penitenciária poderão entrar.

No período de suspensão de visitas, segundo ele, o Depen vai fornecer informações sobre os presos aos familiares. Durante os trabalhos de reconstrução, os presos vão permanecer dentro da penitenciária, segundo o Departamento.

Cartaxo informou que trata-se de um “estado de exceção” e que não há previsão de quanto tempo as reformas devem levar até serem concluídas.

COMPARTILHE