Produção industrial do Paraná avançou 6% em junho.
Foto: Gilson Abreu/FIEP

A produção da indústria brasileira cresceu 5,3% em relação a outubro do ano passado. Essa foi a sexta alta seguida nessa base de comparação e a mais forte desde abril de 2013, quando chegou a 9,8%. Os números foram divulgados nesta terça-feira (5) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Apesar do resultado positivo, a produção brasileira ainda permanece no nível do início de 2009. “Sem contar que estamos 17,2% abaixo do ponto mais alto da série, que foi em junho de 2013”, disse André Macedo, gerente da Coordenação de Indústria do IBGE.

O setor de veículos automotores, reboques e carrocerias produziu 27,4% mais do que em 2016 e contribuiu com o resultado positivo da indústria em geral. Também cresceram as produções de equipamentos de informática, produtos eletrônicos e ópticos (22%) e das indústrias extrativas (3,1%), entre outros. Na contramão, caiu a produção de coque, produtos derivados do petróleo e biocombustíveis.

Já frente a setembro, a atividade subiu 0,2%, o segundo avanço consecutivo, de acordo com o IBGE. Nessa base de comparação, aumentaram as produções de farmoquímicos e farmacêuticos (20,3%) e de bebidas (4,8%), seguidas por vestuário e acessórios (4,3%). Por outro lado, recuou a produção de produtos alimentícios (-5,7%).

“Esse é o segundo resultado positivo em sequência. Nesse período, a gente tem um ganho acumulado de 0,6%, revertendo em parte as perdas registradas em agosto”, destacou.

COMPARTILHE