“A Forma da Água” ganha Oscar de melhor filme
‘A forma da água’ ganhou 4 estatuetas, incluindo Melhor Filme e Diretor (Guillhermo del Toro). Dunkirk levou 3 prêmios. Gary Oldman e Frances McDormand, melhores Ator e Atriz.

“A forma da água” foi premiado como Melhor Filme no Oscar 2018 e com outras três estatuetas, em noite de prêmios divididos. A cerimônia aconteceu na noite deste domingo (4), em Los Angeles.

A premiação teve vários feitos inéditos: vencedor mais velho, primeiro vencedor estrelado por trans, primeiro roteiro original de um negro… “Se esta noite você é um candidato que não está fazendo história, que pena para você”, brincou o apresentador Jimmy Kimmel.

Veja os principais fatos abaixo, um resumo da noite e a lista completa de vencedores no final.

  • “A forma da água” ganhou quatro prêmios. O drama mostra a relação de uma mulher muda e uma criatura misteriosa.
  • “Dunkirk” teve três estatuetas. “O destino de uma nação”, “Blade Runner 2049” e “Três anúncios para um crime” levaram dois.
  • Guillhermo del Toro garantiu a quarta vitória de um diretor mexicano nos últimos cinco anos por “A forma da água”.
  • Gary Oldman foi Melhor Ator por “O destino de uma nação” e Frances McDormand foi a Melhor Atriz por “Três anúncios para um crime”.
  • A cerimônia teve vários discursos sobre inclusão e representação em Hollywood. Frances McDormand convidou todas as mulheres indicadas na premiação a ficarem de pé.
  • “Uma mulher fantástica” se tornou o primeiro filme estrelado por uma pessoa transexual a levar um Oscar. O longa chileno com Daniela Vega foi o Melhor Filme Estrangeiro.
  • Com 89 anos, James Ivory virou o ganhador mais velho de um Oscar na história pelo roteiro adaptado de “Me chame pelo seu nome”.
  • Jordan Peele se tornou o primeiro negro a ganhar o Oscar de Roteiro Original, por “Corra!”.
  • O diretor de fotografia Roger Deakins, de 68 anos, finalmente saiu da fila ao ganhar seu primeiro Oscar na 14ª indicação.
  • Até Kobe Bryant, jogador de basquete, levou seu Oscar, pelo curta “Dear Basketball”. Ele é roteirista e narrador do filme.
  • Após a gafe no ano passado, os envelopes deram pouco espaço para erros. O nome de cada categoria aparecia em tamanho gigante. Funcionou: sem desastre deste tipo em 2018.

    “Todas nós temos uma história para contar. Vamos falar sobre nossos projetos, que precisam de financiamento. Temos que ter inclusão”, disse Frances McDormand.

    Kimmel destacou em seu discurso inicial as campanhas contra a má conduta sexual homens e a desigualdade de gênero, lembrando que apenas 11% dos filmes são feitos por mulheres.

    “No ano em que os homens se equivocaram tanto, as mulheres começaram a sair com peixes”, brincou Kimmel, referindo-se à história de “A forma de água”.

    Jimmy Kimmel citou o produtor Harvey Weinstein, alvo de dezenas de acusações de assédio. “Nós não podemos deixar o mau comportamento aconteça mais, o mundo está nos observando, precisamos dar um exemplo”.

    As atrizes Ashley Judd, Annabella Sciorra, and Salma Hayek falaram conra o assédio sexual e apresentaram vídeo sobre representação de mulheres, negros e imigrantes em Hollywood. Elas mencionaram o “Time’s Up”, criado para combater os crimes sexuais em Hollywood.

    “As mudanças vêm de novas vozes, vozes diferentes. Um coro poderoso está dizendo: “time’s up” [chegou a hora]. Gostaríamos de falar dessas pessoas que deram tudo e acabaram com essa discussão enviesada em relação a gênero e etnia”, disse Judd.

    Emoção e recados no palco

    Guillermo Del Toro falou sobre a importância de “apagar fronteiras” e fez uma referência indireta à proposta do presidente dos EUA, Donald Trump, de construir um muro entre os Estados Unidos e o México.

    “Eu sou um imigrante, como Alfonso [Cuarón], Gael [Garcia Bernal] e muitos de vocês. A melhor coisa no nosso setor é poder apagar as linhas, as fronteiras. Muros só vão piorar as coisas.”

    “Viva: A vida é uma festa”, vencedor da categoria Melhor Animação, exalta a cultura do México, em tempos de crescente tensão xenófoba nos Estados Unidos. Ao receber o prêmio, os produtores do filme celebraram o país e falaram sobre representatividade.

    Ao receber o prêmio de Melhor Curta-Metragem, Rachel Shenton, roteirista de “The silent child”, fez seu discurso com língua de sinais. O filme conta a história de uma garotinha surda que aprende a língua de sinais com uma assistente social.

    O diretor do documentário “Ícaro”, Bryan Fogel, dedicou o prêmio a Grigory Rodchenkov, o russo que delatou o esquema de doping e é o personagem central do filme. Bryan disse que “Grigory está em grande perigo” atualmente. Ele também disse que o filme ressalta a importância de “sempre contar a verdade, agora mais do que nunca”.

    VEJA A LISTA COMPLETA DE VENCEDORES DO OSCAR 2018:
    • “Dunkirk”
    • “Me chame pelo seu nome”
    • “O destino de uma nação”
    • “Corra!”
    • “Lady Bird – É hora de voar”
    • “Trama Fantasma”
    • “The Post – A Guerra Secreta”
    • “A forma da água”
    • “Três anúncios para um crime”
    • Jordan Peele (“Corra!”)
    • Greta Gerwig (“Lady Bird: É hora de voar”)
    • Paul Thomas Anderson (“Trama fantasma”)
    • Guillermo del Toro (“A forma da água”)
    • Timothée Chalamet (“Me chame pelo seu nome”)
    • Daniel Day-Lewis (“Trama Fantasma”)
    • Daniel Kaluuya (“Corra!)
    • Gary Oldman (“O destino de uma nação”)
    • Denzel Washington (“Roman J. Israel, Esq.”)
      • Sally Hawkins (“A forma da água”)
      • Frances McDormand (“Três anúncios para um crime”)
      • Margot Robbie (“Eu, Tonya”)
      • Saoirse Ronan (“Lady Bird: É hora de voar”)
      • Meryl Streep (“The Post – A Guerra Secreta”)
        • “Artista do desastre” (Scott Neustadter e Michael H. Weber)
        • “Me chame pelo seu nome” (James Ivory)
        • “A Grande Jogada” (Aaron Sorkin)
        • “Logan” (Scott Frank, James Mangold e Michael Green)
        • “Mudbound” (Virgil Williams and Dee Rees)
        • “Lady Bird: É hora de voar” (Greta Gerwig)
        • “Doentes de Amor” (Emily V. Gordon e Kumail Nanjiani)
        • “Corra!” (Jordan Peele)
        • “A forma da água” (Guillermo del Toro)
        • “Três anúncios para um crime” (Martin McDonagh)
        • Willem Dafoe (“Projeto Flórida”)
        • Woody Harrelson (“Três anúncios para um crime”)
        • Richard Jenkins (“A forma da água”)
        • Sam Rockwell (“Três anúncios para um crime”)
        • Christopher Plummer (“Todo o Dinheiro do Mundo”)
        • Allison Janney (“Eu, Tonya”)
        • Mary J. Blige (“Mudbound”)
        • Lesley Manville (“Trama Fantasma”)
        • Laurie Metcalf (“Lady Bird: É hora de voar”)
        • Octavia Spencer (“A forma da água”)
        Melhor Filme em Língua Estrangeira
        • “Uma Mulher Fantástica” (Chile)
        • “O Insulto” (Líbano)
        • “Sem amor” (Rússia)
        • “Corpo e Alma” (Hungria)
        • “The Square: A arte da discórdia” (Suécia)
        • “Blade Runner 2049”
        • “A bela e a fera”
        • “O destino de uma nação”
        • “Dunkirk”
        • “A forma da água”
        • “O destino de uma nação” (Bruno Delbonnel)
        • “Blade Runner 2049” (Roger Deakins)
        • “Dunkirk” (Hoyte van Hoytema)
        • “Mudbound” (Rachel Morrison)
        • “A forma da água” (Dan Laustsen)
        • “A bela e a fera”
        • “O destino de uma nação”
        • “Trama Fantasma”
        • “A forma da água”
        • “Victória e Abdul”
        • “Remember me” (“Viva – A vida é uma festa”)
        • “Mighty river” (Mudbound)
        • “Mystery of love” (“Call me by your name”)
        • “Stand up for something” (“Marshall”)
        • “This is me” (“O rei do show”)
        • “Em ritmo de fuga”
        • “Dunkirk”
        • “Eu, Tonya”
        • “A forma da água”
        • “Três anúncios para um crime”
        • “Star Wars: Os últimos Jedi”
        • “Em ritmo de fuga”
        • “Blade Runner 2049”
        • “Dunkirk”
        • “A forma da água”
        • “Em ritmo de fuga”
        • “Blade Runner 2049”
        • “Dunkirk”
        • “A forma da água”
        • “Star Wars: The Last Jedi”
        • “O poderoso chefinho”
        • “The Breadwinner”
        • “Viva: A vida é uma festa”
        • O Touro Ferdinando”
        • “Com Amor, Van Gogh”
        • “Dear Basketball”
        • “Garden Park”
        • “Lou”
        • “Negative Space”
        • “Revolting Rhymes”
        • “Dekalb Elementary”
        • “The 11 o’ clock”
        • “My Nephew Emmett”
        • “The silent child”
        • “Waty Wote/All of us”
        • “Dunkirk”
        • “Trama Fantasma”
        • “A forma da água”
        • “Star Wars: Os últimos Jedi”
        • “Três anúncios para um crime”
        • “Abacus: Pequeno o bastante para condenar”
        • “Visages villages”
        • “Ícaro”
        • “Últimos homens em Aleppo”
        • “Strong Island”
        Melhor documentário em curta-metragem
        • “Edith+Eddie”
        • “Heaven is a traffic jam on the 405”
        • “Heroin(e)”
        • “Knife Skills”
        • “Traffic Stop”
        Melhor maquiagem e cabelo
        • “O destino de uma nação”
        • “Victoria e Abdul”
        • “Extraordinário”
        • “Blade Runner 2049”
        • “Guardiões da galáxia Vol. 2”
        • “Kong: A ilha da caveira”
        • “Star Wars: Os últimos Jedi”
        • “Planeta dos Macacos: A guerra”
COMPARTILHE