O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, informou hoje (9) que o Centro Integrado de Comando e Controle do Distrito Federal será inaugurado nos próximos dias para reunir representantes da segurança pública de cada estado e do governo federal, além das inteligências das Forças Armadas.

O espaço foi construído para a realização da Copa do Mundo de 2014 e dos Jogos Olímpicos de 2016, e todos os equipamentos necessários para seu funcionamento já foram adquiridos.

Segundo o ministro, com um investimento de cerca de R$ 1 milhão e os custos com mão de obra e custeio, é possível fazer a estrutura voltar a funcionar. “Pela primeira vez, permanecerão atuando conjuntamente os 27 estados da Federação, as forças policiais e a inteligência das Forças Armadas.”

Jungmann anunciou ainda que um censo, a ser iniciado no Rio de Janeiro, vai mapear a estrutura de todos os presídios do país. Para a execução desse trabalho, o Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) deve emprestar R$ 20 milhões a fundo perdido para o Ministério Extraordinário da Segurança Pública.

De acordo com Jungmann, o mapeamento será estendido posteriormente para todo o país e será feito com o auxílio das Forças Armadas. Ainda não há prazo definido para o censo ser concluído.

“Não se tem um diagnóstico do sistema, da estrutura, da infraestrutura, dos equipamentos e das condições das unidades prisionais espalhadas pelo país. E isso nós precisamos saber, para saber onde há condições e onde é preciso investir”, explicou o ministro.

O terceiro anúncio feito pelo ministro na tarde de hoje foi o da ampliação do programa Alerta Brasil no Rio de Janeiro, já que os principais acessos rodoviários ao estado são por meio de estradas federais. De acordo com Jungmann, as centrais de monitoramento e controle da Polícia Rodoviária Federal passarão de três para 33 no estado.