A Paixão Segundo São João de Johann Sebastian Bach é a obra escolhida pela Camerata Antiqua de Curitiba, regido por Abel Rocha, na Igreja Nossa Senhora de Guadalupe.
Curitiba, 30/03/2018
Foto:Luiz Costa/SMCS

Mais de mil pessoas assistiram à apresentação da Camerata Antiqua de Curitiba no Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe nesta Sexta-feira Santa (30/3), que contou com a presença do prefeito Rafael Greca e da primeira-dama, Margarita Sansone.

A exemplo de quinta-feira, quando fez a estreia da temporada 2018, a Camerata apresentou a Paixão de Cristo Segundo São João, de Johann Sebastian Bach. Mas desta vez acompanhada do padre Reginaldo Manzotti, que interpretou o papel de Evangelista.

O prefeito destacou a 24ª cena da peça clássica, durante a qual Jesus promove a adoção de João pela sua mãe, Maria. “Ele se preocupa por ela ficar sozinha”, explicou, aludindo a cena a uma realidade de nossos dias. “Nós lembramos disso com a força de quem sabe que hoje em Curitiba há 55 idosas e idosos abandonados no nosso Hospital do Idoso”, disse o prefeito.

Greca enalteceu o significado da Páscoa, que representa renascimento. “Não há nada que esteja perdido, não há nada que não possa ser resolvido, pois o amor vence todas as coisas”, afirmou.

Evangelista
O padre Manzotti falou ao público sobre a longevidade e importância das composições de Bach. “São três séculos e mais um terço em que sua obra permaneceu viva, atravessando gerações sem perder o sabor”, disse.
Ele lembrou que peça encenada ontem foi apresentada pela primeira vez na Sexta-feira Santa no ano de 1724. “Esse espetáculo maravilhoso vai fluir aqui do Santuário de Nossa Senhora de Guadalupe e se espalhar para todo o Brasil.”

A apresentação foi transmitida em cadeia nacional pela TV Evangelizar.

Nosso Canto
Além do padre,  apresentação desta sexta-feira (30/3) teve a participação de 70 cantores do programa Nosso Canto. O programa oferece oficinas gratuitas de técnica vocal e práticas de canto coral nas dez regionais de Curitiba.

Maico da Cunha Sant’Anna integra o coro da Camerata Antiqua de Curitiba e também é professor no programa nas regionais Cajuru e Tatuquara. “É uma linda iniciativa da nossa Prefeitura de valorizar a arte, a cultura e o acesso à essa atividade tão socializante que é o canto comunitário”, disse.

Participando do programa há um ano, Vera Venske frequenta as aulas nas regionais Boa Vista e Matriz e diz ter ficado emocionada com o concerto. “A gente nunca pensa que vai participar de uma espetáculo como o de hoje, junto com o pessoal da Camerata, que são pessoas do mais alto gabarito”, salientou.

Mãe e filha, Ângela Maria Palácio e Manuela Palácio Poca, começaram as aulas na regional Cajuru há mais de dois anos. “Participar desse evento foi muito importante porque é uma forma de nos aproximar por uma linguagem comum, a música”, comentou Ângela.

O concerto
A apresentação de sexta foi a segunda das três que serão realizadas em igrejas durante a Semana Santa na capital. O concerto foi regido por Abel Rocha e contou com 116 músicos, sendo 46 integrantes do Coro e Orquestra da Camerata e 70 alunos do Projeto Nosso Canto, além do padre.

Como solistas participaram Norbert Steidl, interpretando Jesus, Victor Torres, interpretando Pilatos, a soprano Cintia de Los Santos, o contratenor Paulo Mestre e o tenor Miguel Geraldi.

A terceira apresentação ocorre neste sábado à noite.

O texto da obra foi narrado em português. Os trechos de maior contemplação da história ficaram no original alemão e receberam legendas no telão.

A peça se divide em duas partes. Na primeira parte, a primeira cena se dá no Vale do Cédron e a segunda no palácio do sumo sacerdote Kaiphas. A segunda parte mostra três cenas, uma com Pilatus, outra no Golgatha, e outra nas ruas de Jerusalém. O argumento dramático entre Pilatus, Jesus e os sacerdotes não é interrompido pelas reflexões feitas pelo coro, que em Bach sempre representa o povo.

Temporada 2018
A temporada 2018 da Camerata Antiqua de Curitiba inclui em 34 concertos, entre apresentações com o grupo inteiro, coro e orquestra e especificamente orquestra ou coro. Além da abertura, se destacam obras importantes do repertório de Bach e Motetos; o encerramento da temporada terá o Oratório de Natal.
Na programação do coro, destacam-se três concertos com o tema ‘Missas’, escritos por diversos compositores de nacionalidades diferentes entre as quais os brasileiros como Pe. José Penalva, Osvaldo Lacerda e Lindembergue Cardoso com a Missa Nordestina.
A Orquestra faz uma importante participação na programação com o Mia Cara Curitiba,  no qual executará grandes mestres compositores italianos, bem como em outros programas com compositores universais como Haydn, Mozart, Villa-Lobos, e um destaque ao concerto com dança barroca no mês de setembro, “Le roi danse” com compositores da corte de Luis XIII e XIV, bem como dançarinos com coreografias originais do século XVIII.

Acesse a programação completa no site: www.camerataantiqua.org.br.

COMPARTILHE