O Podemos escolheu Curitiba, a terra da Lava Jato, para realizar a reunião nacional que lançou o senador Alvaro Dias a presidente. O parlamentar conta com os apoios já declarados do PSC, que indicou o economista Paulo Rabello de Castro, ex-presidente do BNDES, para ser seu vice, e do PTC, sigla do também senador Fernando Collor, ex-presidente da República.

No primeiro discurso como candidato, Álvaro fez críticas ao atual sistema político e voltou a repetir o discurso de “refundar a República”, que defendeu nas entrevistas da pré-campanha eleitoral.

O candidato disse, ainda, que vai combater a corrupção e apoiar a continuidade da Operação Lava Jato, que, de acordo com ele, prendeu “os barões que assaltaram a República”. “A limpeza não terminou, a limpeza tem que continuar”, afirmou.

Alvaro Dias também revelou que pretende convidar o juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Operação Lava Jato na primeira instância, para assumir o Ministério da Justiça.

Para Alvaro Dias, Sérgio Moro é o “ícone da nova Justiça brasileira”. O candidato disse, porém, que ainda não conversou com o juiz federal sobre o convite.

No discurso, o senador também revelou que deseja que as mulheres sejam protagonistas no seu governo. “Nós do Podemos somos comandados por uma mulher e, certamente, elas comandarão setores do nosso governo porque são essenciais na refundação da República”, completou.

Paulo Rabello de Castro também falou em “refundar a República” e em reduzir os impostos, a burocracia e os juros altos; em legalizar a propriedade nas comunidades; em construir 500 centros de educação para o trabalho e em revisar a Constitutição de 1988.

A convenção do Podemos reuniu, no Paraná Clube, centena de filiados do Podemos. A presidente nacional do partido, Renata Abreu, esteve presente e disse que Alvaro Dias e Paulo Rabello Castro são “dois homens íntegros, honestos e capacitados”.

“O Alvaro é a grande esperança do nosso povo”, falou Renata Abreu.

Propostas

Entre as propostas que apresentou durante o discurso, o candidato do Podemos manifestou a intenção de:

  • Combater a corrupção “para valer”;
  • Promover alterações constitucionais;
  • Investir na educação;
  • Melhorar o ambiente de negócios.
Trajetória política

Alvaro Dias é formado em história pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). É casado e tem um casal de filhos.

Na década de 60, foi locutor de rádio em Londrina. Com a grande popularidade que conseguiu, chamou a atenção de lideranças políticas locais. Convidado a ser vereador, aceitou e foi eleito em 1968.

Ao longo de quase 50 anos de vida política, Alvaro Dias foi vereador, deputado estadual, deputado federal, governador do Paraná e senador. Trocou de partido oito vezes, passando pelo MDB, PMDB, PST, PP, PSDB, PDT, PSDB, PV e Podemos.

O atual mandato dele como senador termina em 2022.