Murillo Mendes, presidente da Mendes Júnior

O presidente da construtora Mendes Júnior, Murillo Mendes, morreu na madrugada deste domingo (19) aos 93 anos em Belo Horizonte. De acordo com o advogado da empresa, Murilo Procópio, o empresário faleceu em decorrência de um infarto.

Procópio disse ainda que Mendes foi enterrado em uma cerimônia reservada aos parentes na capital mineira. O advogado lamentou a morte dele e disse que é uma grande perda para Minas Gerais.

Murillo Mendes sucedeu o pai, José Mendes Júnior, que fundou a empresa em 1953. Entre as obras importantes que a construtora participou está a Hidrelétrica de Furnas, em 1957, a ponte Rio-Niterói, em 1971, a Hidrelétrica de Itaipu, 1973, além de construções no exterior.

A atuação internacional da empreiteira começou em 1969, na construção da Usina Hidrelétrica de Santa Isabel, na Bolívia. Em 1978, a Mendes Júnior iniciou no Iraque a construção da Ferrovia Baghdad-Akashat-Alqaim, que liga essas três importantes cidades do Oriente Médio.

A empresa foi ainda contratada para a construção da rodovia Expressway no Iraque, entre 1981 e 1986. Também foi responsável por uma nova estação de bombeamento no histórico Rio Eufrates, no chamado Projeto Sifão, iniciado em 1984.

Em 1994, a Mendes Júnior assinou o primeiro contrato de construção de uma empresa brasileira na China, segundo a empresa. A empreiteira construiu a barragem e realizou a montagem eletromecânica do vertedouro da Usina Hidrelétrica de Tianshengqiao I (TSQ – I). Atualmente, é a segunda maior barragem de enrocamento com face de concreto (BEFC) do mundo e a maior da Ásia, conforme divulgado no site da empresa.

Em recuperação judicial desde 2016, a Mendes Junior tenta se recuperar das dificuldades financeiras, mas ainda vêm registrando resultados negativos. No primeiro semestre de 2018, a empresa teve prejuízo de R$ 555 milhões, segundo dados da B3. O valor representa uma piora na comparação com o mesmo período de 2017, quando o resultado ficou negativo em R$ 371 milhões.

A empreiteira está entre as empresas investigadas pela Lava Jato. No último dia 13, o juiz federal Sérgio Moro determinou a prisão dos ex-executivos da construtora Sérgio Cunha Mendes, Rogério Cunha Oliveira e Alberto Elísio Vilaça Gomes para cumprimento de pena.

Os três tinham sido condenados por Moro em novembro de 2015. O ex-vice-presidente da Mendes Júnior Sérgio Cunha Mendes foi condenado pelo TRF-4 a 27 anos e 2 meses de prisão. Rogério Cunha Oliveira, ex-diretor de Óleo e Gás da empresa, recebeu pena em segunda instância de 18 anos e 9 meses, e Alberto Vilaça, antecessor de Cunha Oliveira no cargo, foi condenado a 11 anos e 6 meses.

Os executivos foram denunciados após a 7ª fase da operação, deflagrada em novembro de 2014, que investigou irregularidades em contratos da Petrobras com empreiteiras.

O processo teve por objeto contratos e aditivos da Mendes Júnior com a Petrobras na Refinaria de Paulínia (Replan), na Refinaria Getúlio Vargas (Repar), no Complexo Petroquímico do Rio de Janeiro (Comperj), no Terminal Aquaviário Barra do Riacho, na Refinaria Gabriel Passos, e nos Terminais Aquaviários de Ilha Comprida e Ilha Redonda.

Plano de recuperação judicial

Em 2016, a empreiteira apresentou ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) um plano de recuperação judicial da empresa. O plano faz parte do processo de recuperação judicial da empresa. Na ocasião, o Fórum Lafayette informou que o valor a ser recuperado era de R$ 258 milhões, que corresponde ao montante da dívida, segundo a própria empresa.

No mesmo ano, a Controladoria-Geral da União (CGU) havia declarado a construtora inidônea. Com isso, ela ficou impedida de fazer contratos com qualquer instituição pública por dois. Foi a primeira decisão desse tipo em relação a empresas envolvidas na Lava Jato.

O órgão colheu provas de irregularidades na atuação da construtora Mendes Júnior em contratos da Petrobras de 2004 a 2012. Na investigação, a empresa até admitiu o suborno, mas alegou que a propina foi extorquida por operadores do esquema. Porém, isso não convenceu a CGU.