Em um jogo cheio de reviravoltas e com uma pitada de drama, o Inter superou o Atlético-PR por 2 a 1 no Beira-Rio e recuperou a vice-liderança do Brasileirão. Com reservas, o Furacão se mostrou um adversário talentoso e chegou a abrir o placar, graças Camanho. Na base do abafa, o time gaúcho conseguiu o empate com Rodrigo Moledo, após cruzamento, e a virada nos descontos em uma jogada polêmica. O juiz assinalou pênalti duvidoso em Rossi nos descontos. D’Alessandro cobrou com categoria e decretou a virada.

A primeira etapa foi marcada por muita marcação, mas raros momentos de inspiração. Em casa, o Inter tinha dificuldades para superar a organização defensiva do Furacão. Aliás, os paranaenses se posicionavam em bloco e mordiam no meio-campo, com objetivo de especular algum contra-golpe. Chances de gol, no entanto, foram praticamente nulas. Pelo lado do Inter, D’Alessandro emendou um chute de primeira, da entrada da área, no qual a bola passou perto. Já o Furacão teve boa chance chance com Bergson. Em cobrança de falta, o atacante emendou uma pancada, que passou perto da trave de Marcelo Lomba.

Se faltou emoção no primeiro tempo, sobrou no segundo. Assim que a bola rolou, as duas equipes entraram elétricas e dispostas a atacar, o que geraria espaços em campo. Com poucos minutos, Nico López quase abriu o placar, com chute colocado da entrada da área. A resposta foi imediata: após cruzamento do Furacão, a bola desviou em Cuesta e rebateu na trave de Lomba. Leandro Damião ainda teve a chance de abrir o placar, quando o Furacão conseguiu o feito. Após erro na saída de bola de Patrick, Camacho avançou livre para finalizar. O chute desviou em Rodrigo Moledo e enganou Marcelo Lomba. Com a desvantagem no placar, o Inter se lançou ao ataque. Conseguiu a igualdade na base do chuveirinho. Rodrigo Moledo desviou na área e tocou para as redes. No finalzinho, Rossi foi derrubado na área por Márcio Azevedo: pênalti. D’Alessandro fez a cobrança e decretou a virada.

COMPARTILHE