Olhar Curitiba mostra beleza até debaixo d´água. Curitiba, Janeiro 2019 Foto:Daniel Castellano/SMCS

No dia a dia, as tradicionais chuvas de verão, com as mudanças abruptas de céu, nuvens e ventos, podem significar muitas coisas: de alívio do calorão (que anda forte) ao corre-corre para não se encharcar antes de voltar ao trabalho.

Um dos mais talentosos curitibanos, o poeta Paulo Leminiski fez um poema assim:

A chuva vem de cima
correm
como se viesse atrás

Inspirações poéticas também transbordam nas imagens feitas pelos fotógrafos da Prefeitura Luiz Costa e Daniel Castellano para esta série do Olhar Curitiba.

Registraram a chuva nas andanças pela capital, mostrando a beleza da cidade embaixo de temporais e garoas. Os monumentos, o cotidiano e a natureza conduziram os olhos atentos da dupla.

Confira.

(Como chuva não é só poema, o município dedica atenção especial aos seus efeitos: os investimentos em obras de combate a enchentes chegam a R$ 480 milhões em dois anos.)