O corpo da atriz e cantora Bibi Ferreira, diva dos musicais brasileiros, é velado na manhã desta quinta-feira (14), no Theatro Municipal do Rio, no Centro. A cerimônia foi aberta ao público às 10h e acontece até as 15h. A filha, uma neta e um bisneto de Bibi chegaram cedo ao velório. Após a cerimônia, o corpo de Bibi deve ser cremado.

Bibi morreu nesta quarta-feira (13), aos 96 anos. Também apresentadora, diretora e compositora, ela foi um dos maiores fenômenos artísticos do país.

Segundo Tina Ferreira, filha única de Bibi, a artista morreu no início da tarde em seu apartamento no Flamengo, Zona Sul do Rio.

“Minha mãe faz parte de um legado muito rico do teatro brasileiro. Espero que tudo o que ela fez sirva de inspiração para as gerações de artistas que ainda virão. É bonito ver o público, pessoas que eu nunca conheci, se aproximarem para me cumprimentar e me contar histórias da minha mãe. E é ainda mais bonito que esse momento aconteça aqui, no Municipal, em cujo palco ela pisou tantas vezes” – Tina Ferreira, filha.

A atriz acordou e a enfermeira que a acompanhava percebeu que o batimento cardíaco estava baixo e, por isso, chamou um médico. Tina acredita que a mãe morreu dormindo.

“Ela amanheceu normal, acordou tomou seu café da manhã e tudo. Depois, ela só se queixou que estava se sentindo um pouco com falta de ar. Então como tem enfermeira, tem tudo, tiramos a pressão, o pulso estava fraco. Imediatamente chamamos o Pró-Cardíaco. Eles vieram muito rápido, muito rápido mesmo, ambulância, médico, tudo, mas quando chegaram ela já tinha partido. Ela morreu dormindo, tranquila”, explicou a filha.

Entre os muitos artistas presentes, o ator Ney Latorraca foi só elogios à amiga: “Uma das mulheres mais intensas que já conheci. Tinha total dedicação ao ofício, era a atriz que chegava primeiro ao teatro, antes de todos. Ela merece todos os nossos aplausos”.

“Ela sempre foi um exemplo de vida e um exemplo de profissional. Eu só tenho a agradecer por ela rer sido minha amiga”, disse Nicette Bruno.

“Para a arte brasileira, este é o grand finale de uma grande estrela, de uma diva. Bibi deixa um legado na história do teatro e da música deste país. Ela tem uma ligação muito antiga com esta casa. Aprendeu balé aqui e também foi diretora de dramaturgia do Theatro Municipal. Nós nos despedimos com toda a honra que ela merece”, disse Aldo Mussi, diretor do Theatro Municipal.