Não foi como esperado a estreia oficial do Athletico em 2019, com a derrota de 1 a 0 para o Tolima, pela primeira rodada do Grupo G da Libertadores, no Estádio Murillo Toro, em Ibagué, Colômbia. O Furacão demonstrou a dificuldade típica de entrosamento em times com pouca rodagem e ainda teve que improvisar logo aos 10 minutos, quando perdeu o lateral-direito Madson, que se machucou, para a entrada de Zé Ivaldo, improvisado. O time perdeu força ofensiva e passou a correr muitos riscos defensivamente até que o gol veio após cobrança de falta, que Santos fez grande defesa, mas a sobra ficou para Banguero marcar. O segundo tempo foi de mudanças, com a entrada de Marcelo e Braian Romero, mas o placar não mudou na estreia do Furacão.

Primeiro tempo

O jogo começou de forma bastante morna e com pouca criação dos times. O primeiro lance com perigo do Furacão aconteceu apenas aos 17 minutos com a finalização de Marco Ruben dentro da área, mas que saiu pertinho da trave do Tolima. Mesmo com a finalização, a partida já começava a ficar complicado para o Athletico, que perdeu o lateral-direito Madson aos 10 minutos, quando sentiu dores na virilha. Sem outra alternativa, Tiago Nunes improvizou o zagueiro Zé Ivaldo, que abriu um espaço pelo setor, por onde o Tolima foi ficando cada vez mais perigoso. Atacando cada vez mais, o time colombiano abriu o placar após cobrança de falta, boa defesa de Santos, que Banguero aproveitou a sobra para mandar para as redes aos 29 minutos. O Athletico ficou ainda mais perdido em campo, sem conseguir demonstrar reação até o apito final. Segundo tempo

O Athletico voltou sem mudança na escalação e mais agressivo. O time passou a aparecer mais na área, mas ainda sem muitas finalizações. Com o tempo passando e a situação não mudando, Tiago Nunes abriu mão da proteção defensiva tirando o volante Camacho para colocar o atacante Marcelo Cirino. O jogo ficou mais aberto, com o Athletico correndo mais riscos no contra-ataque, só que encontrando espaços para atacar. Rony foi o destaque do segundo tempo sendo incansável dos dois lados do campo, enquanto Marco Ruben aparecia pouco. Tiago Nunes fez a última substituição com o estreante Braian Romero no lugar de Nikão e nada mudou até o apito final.