Afonso Pensa, Bacacheri, Londrina e Foz do Iguaçu estão na lista, que tem mais 18 terminais das regiões Sul, Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

O Governo Federal publicou, nesta segunda-feira (18), o edital que abre a sexta rodada de concessão de aeroportos administrados pela Infraero. Os aeroportos Afonso Pena, em São José dos Pinhais, Bacacheri, em Curitiba, Cataratas, em Foz do Iguaçu, e José Richa, em Londrina, estão na lista.

Ao todo, 22 aeroportos das regiões Sul, Norte, Nordeste e Centro-Oeste serão concedidos nesta rodada.

O edital publicado nesta segunda-feira definirá as empresas que vão elaborar os Estudos de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental (EVTEA) das concessões.

A partir destes estudos serão definidos os valores mínimos do leilão e quanto as empresas vencedoras deverão investir nos terminais.

A concessão acontecerá em blocos. A empresa que assumir os quatro aeroportos do Paraná também vai administrar os terminais de Navegantes e Joinville, em Santa Catarina, e de Pelotas, Uruguaiana e Bagé, no Rio Grande do Sul.

De acordo com o secretário de Infraestrutura e Logística do Paraná, Sandro Alex, o estado apresentou as condições necessárias para que os aeroportos paranaenses entrassem no bloco de privatizações do governo federal.

Entre as medidas apontadas pelo secretário estão o aumento no movimento de passageiros em Londrina, melhorias no Bacacheri, a construção de uma terceira pista no Afonso Pena e de uma pista para vôos internacionais em Foz do Iguaçu.

“Eu acredito que, além dos paranaenses terem uma melhor infraestrutura aeroportuária, o Paraná vai ter um número maior de voos, inclusive internacionais, em Curitiba e Foz do Iguaçu, e uma tarifa menor de operação”, afirmou Sandro Alex.

Na sexta-feira (15), 12 aeroportos divididos em três blocos foram concedidos por R$ 2,377 bilhões. Os grupos eram formados por terminais do Nordeste, Sudeste e Centro-Oeste.

Além do valor à vista, as regras do leilão preveem uma outorga variável a ser paga ao longo dos 30 anos de concessão, estimada em R$ 1,9 bilhão.

O investimento previsto nos 12 aeroportos ao longo do período de concessão é de R$ 3,5 bilhões, para ampliação e manutenção dos terminais.

Para os primeiros cinco anos da concessão, o investimento estimado é de R$ 1,47 bilhão.