Herói da noite histórica do Furacão, com três gols na goleada sobre o Boca Juniors, Marco Ruben destacou a atuação coletiva da equipe. Segundo o atacante argentino, o time aplicou com perfeição sua proposta de jogo, no triunfo que colocou o Athletico Paranaense na liderança do Grupo G da Conmebol Libertadores.

“Foi uma noite especial para mim, para toda a equipe e para o Clube. Estou contente com o rendimento e com a forma que a equipe jogou essa partida. Os primeiros minutos foram difíceis, mas depois do primeiro gol dominamos o jogo. Foi muito especial para mim e para todos. Temos que desfrutar o momento e seguir lutando assim a cada partida”, disse.

O artilheiro rubro-negro destacou o volume de jogo e aplicação tática da equipe. “Fazer três gols significa principalmente que a equipe atuou à perfeição. Pessoalmente foi muito lindo, por ser contra o Boca e por estar começando uma nova etapa neste Clube. Temos grandes jogadores, o que para mim é muito importante. Uma equipe que consegue 14, 15 finalizações por jogo é excelente para qualquer atacante”, destacou.

Para Marco Ruben, o time pode chegar a grandes conquistas na temporada. “O importante é que temos seguido uma linha e hoje conseguimos executar à perfeição. Estou muito esperançoso de que podemos conquistar coisas importantes. Hoje foi uma grande atuação, um grande triunfo, contra um dos favoritos para ganhar essa Copa. Estou muito feliz por ter feito três gols. Para mim tem um sabor muito especial”, completou o camisa 9 do Furacão.

Além de não tomar conhecimento do temido Boca Juniors, vencer por 3 a 0 e marcar a noite da última terça-feira para sempre em sua história, o Athletico-PR tem mais motivos para se orgulhar. A elasticidade desfavorável no placar não é algum comum na vida do clube argentino na Libertadores. Antes do baile do Furacão, apenas dois times impuseram derrotas mais traumáticas aos xeneizes na principal competição entre clubes do continente.

E o dono da maior façanha também é um clube brasileiro. Em 1994, o Palmeiras passou por cima do Boca e venceu por 6 a 1 no antigo Palestra Itália. Evair (dois), Edílson, Cléber, Roberto Carlos e Jean Carlo anotaram os gols do time treinado por Vanderlei Luxemburgo. Martínez descontou quando a vantagem alviverde era de seis gols.