O saneamento básico curitibano volta a ser destaque em levantamentos especializados. De acordo com Instituto Trata Brasil, Curitiba tem a melhor colocação entre as capitais brasileiras em ranking divulgado nesta terça-feira (23/7), que traz índices das cem maiores cidades do país.

A liderança também já havia sido aferida na edição 2019 do Ranking de Universalização do Saneamento da Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), Curitiba.

O levantamento do Trata Brasil considera dados de fornecimento de água, coleta e tratamento de esgoto e investimentos em perda de água.

“Os esforços que temos feito em parceria com a Sanepar têm mostrado cada vez mais resultados”, avalia o prefeito Rafael Greca.

Curitiba obteve nota máxima (100) em abastecimento de água e também no indicador que mede a evolução no número de novas ligações de esgoto. Em coleta de esgoto, somou 99,99 pontos de cem possíveis.

O Trata Brasil aponta que apenas três capitais brasileiras fazem o tratamento de mais de 80% do esgoto coletado: Curitiba (93,5%), Salvador (100%) e Brasília (84,4%).

Curitiba apresentou forte evolução neste item, tendo seu índice no quesito subido 5,5 pontos porcentuais no ranking deste ano (com dados de 2017) em relação ao do ano anterior (com dados de 2016).

Os dados do Trata Brasil têm defasagem de dois anos, período necessário para levantamento e compilação de todas as informações coletadas do Sistema Nacional de Informações sobre Saneamento (SNIS).

De acordo com instituto, o país ainda apresenta quase 35 milhões de brasileiros sem acesso à água tratada e quase 100 milhões de brasileiros sem coleta de esgoto. As cem cidades analisadas somam 40% da população brasileira.

Investimentos

De acordo com a secretária municipal do Meio Ambiente, Marilza Oliveira Dias, o desempenho de Curitiba decorre dos investimentos e esforços no cumprimento das metas do Plano Municipal de Saneamento Básico.

O novo contrato feito pelo município com a Sanepar permitirá um incremento ainda maior, com novas ligações e a revisão e substituição de tubulações antigas.

Marilza destaca que a prioridade é ampliar a efetividade de uso da infraestrutura existente na cidade. Por isso, foi intensificada também a fiscalização da ligação das redes.

“Investimos também em ações de Educação Ambiental para envolver toda a comunidade”, ressaltou. A fiscalização e atividades de Educação Ambiental fazem parte do programa Amigo dos Rios, que ainda contempla obras de drenagem de lagos, dragagem e despoluição de rios.

Destaque na Abes

O bom desempenho de Curitiba da área já havia sido demonstrado em outro estudo publicado recentemente pela Associação Brasileira de Engenharia Sanitária e Ambiental (Abes), Curitiba também ficou em primeiro lugar entre as capitais.

A edição de 2019 do Ranking da Universalização do Saneamento mostra a capital paranaense com 499,99 pontos, de um máximo de 500, 22,21 pontos à frente da segunda colocada, Belo Horizonte (MG). Dos quase dois mil municípios pesquisados pela Associação, somente 85 cumprem requisitos de saneamento básico.