Dezenas de comunidades campesinas de sete distritos foram atingidas pelas cinzas expelidas pelo vulcão Ubinas, o mais ativo do Peru, de acordo com o jornal “El Comércio”.

Na sexta-feira (19), as autoridades peruanas determinaram a retirada de centenas de pessoas que moram próximas ao vulcão localizado na região de Moquegua, no sul do país, após explosões e emissões de fuligem.

Ainda de acordo com jornal, moradores de Chucuito, Puno y El Collao, na região de Puno, estão sofrendo com a falta de máscaras.

O Ministério da Educação disse que em cidades próximas ao vulcão, que está cerca de 1.200 km ao sul de Lima, as aulas foram suspensas e pessoas receberam máscaras e óculos para proteção contra as cinzas e gases do vulcão.

O sul do Peru, área onde há importantes áreas de mineração, abriga uma dúzia de vulcões ativos.

O país também está no chamado “Círculo de Fogo do Pacífico”, área com alta incidência de terremotos e atividade vulcânica.

No Brasil, aeronáutica alertou pilotos

A Força Aérea Brasileira informou em nota que tem informou aos pilotos que há deslocamento de cinzas vulcânicas para o país.

“Não houve necessidade de fechamento do espaço aéreo, mas seguimos monitorando o avanço por meio dos Centros Meteorológicos de Vigilância (CMV) e coletando informações repassadas pelos pilotos”, de acordo com o setor de comunicação da aeronáutica.

No momento, a área atingida está localizada em parte dos Estados de Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná e São Paulo.