Campeão da Libertadores, Brasileiro e Carioca em 2019, o Flamengo foi a Doha para “buscar o mundo” para seu povo e coroar um ano que já havia entrado para a história. Chegou perto. Em uma grande final, encarou o poderoso Liverpool, campeão da Liga dos Campeões e líder da Premier League de igual para igual, chegando a ser superior em diversos momentos do jogo. Mas, no fim, não resistiu. Vitória inglesa por 1 a 0, com gol do brasileiro Roberto Firmino aos 8 minutos do 1º tempo da prorrogação.

O herói do título do Liverpool

Roberto Firmino fez o gol da partida e foi o herói do título do Liverpool. Mas para isso, precisou de três chances. Perdeu um gol claro aos 40 segundos do 1º tempo. No início da 2ª etapa, mandou uma bola na trave. Foi coroado aos 8 minutos da prorrogação, ao receber de Mané, deixar Rodrigo Caio e Diego Alves no chão e mandar para o fundo das redes.

1º tempo

Primeiro, vieram os sustos. Com quarenta segundos de jogo, Firmino perdeu na cara do gol. Com seis minutos, o Liverpool já tinha desperdiçado outras duas boas chances: Keita, em chute quase na marca do pênalti, e Alexander-Arnold em bomba da entrada da área, quase marcaram. Mas daí o Flamengo acordou. Melhorou a circulação de bola, cresceu na partida e o principal: se impôs sobre o campeão europeu. Tanto que terminou a etapa com quase 60% de posse de bola. Foram quatro jogadas de perigo, todas com Bruno Henrique, destaque do time. Rodrigo Caio foi o melhor da zaga, e Arão foi bem no meio.

2º tempo

A segunda etapa começou com roteiro parecido. Firmino e Salah tiveram boas chances nos minutos iniciais. O brasileiro chegou a acertar a trave. Bem postado, o Flamengo soube equilibrar o jogo mais uma vez e teve sua melhor chance com Gabigol. O camisa 9 ainda tentou de bicicleta pouco depois. O jogo seguiu aberto, mas sem grandes chances. Pelo menos até os minutos finais, quando Diego Alves fez um milagre em chute de Henderson de fora da área. O último lance fez parar os corações rubro-negros: Mané perdeu grande oportunidade na cara do gol, mas o juiz marcou pênalti de Rafinha na sequência do lance. Mas o VAR entrou em ação e fez justiça ao anular o lance.

Prorrogação

No início da prorrogação, o mesmo roteiro, mas com um final diferente. O Liverpool, já com domínio do jogo, voltou a levar perigo. E Roberto Fimino teve mais uma grande chance. E dessa vez não perdoou: recebeu passe de Mané e abriu o placar. Com dificuldades de reequilibrar a partida, o Flamengo pouco ameaçou. Na base da vontade, buscou um épico empate nos acréscimos, como na Libertadores. Mas, desta vez, não conseguiu repetir o roteiro de cinema.