O temporal que atinge São Paulo desde domingo (9) deixou a cidade em estado de atenção. As marginais Tietê e Pinheiros tiveram trechos intransitáveis por causa dos transbordamentos dos respectivos rios. A circulação dos transportes públicos foi comprometida.

A Zona Oeste da cidade foi a mais afetada. A recomendação dos bombeiros é que as pessoas evitem sair de casa. Segundo o Centro de Gerenciamento de Emergências (CGE), o tempo deve continuar instável e com chuva.

O Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) informou que, desde domingo (9) até às 8h desta segunda-feira (10), foram registrados 141,2 ml de chuva em Barueri. No Mirante de Santana, na Zona Norte de São Paulo, foram registrados 113,2 ml de chuva. A média nos últimos 30 anos para o mês de fevereiro nesta estação de medição é de 249,7.

Situação em tempo real

O metrô opera normalmente, mas a linha 9 – Esmeralda da CPTM parou — a linha 8 – Diamante da CPTM ficou paralisada até às 9h10 (leia sobre os ônibus mais abaixo). O rodízio de veículos foi suspenso.

No começo da manhã desta segunda-feira (11), a cidade chegou a registrar 76 pontos de alagamentos, sendo 68 intransitáveis e 8 transitáveis. Às 9h, este número baixou para 56 pontos de alagamentos, sendo 51 intransitáveis e 5 transitáveis (veja as atualizações aqui).

Até às 10h, os Bombeiros registraram, na Grande São Paulo, 320 solicitações para pontos de enchentes; 36 casos de desabamentos/desmoronamentos e 47 quedas de árvores.

O corpo de um homem de 33 anos foi encontrado no piscinão de São Bernardo, segundo o Corpo de Bombeiros, na manhã desta segunda (10). Ele estava desaparecido desde sábado (8). Inicialmente, a reportagem afirmou erroneamente que homem desapareceu no domingo (9), quando a chuva começou.

  • rodízio de veículos: suspenso por todo o dia;
  • marginais: Tietê e Pinheiros estão fechadas em pontos com alagamento; na Tietê, o ponto crítico é na altura da ponte da Casa Verde, sentido Cebolão;
  • chegada a São Paulo: rodovias Carvalho Pinto e Dutra têm congestionamento; a situação é a mesma na Castello Branco e Imigrantes;
  • congestionamento: por volta de 8h, havia 89 km de lentidão em toda cidade
  • trens: as linhas 8 e 9 da CPTM têm trechos com operação paralisada;
  • metrô: opera normalmente;
  • aeroporto: Guarulhos e Congonhas estão aberto para pousos e decolagens;
  • ocorrências: os Bombeiros registraram mais de 4 mil chamadas na Grande São Paulo: 320 acionamentos por inundações, 47 quedas de árvores e 36 desabamentos/desmoronamentos;
  • suspensão de atividades: o Tribunal de Justiça de São Paulo suspendeu o expediente em todas as unidades judiciais da comarca da Capital.

A SPTrans informa que a circulação dos ônibus municipais está prejudicada e que as equipes reforçaram o monitoramento da operação dos ônibus, orientando os passageiros em seus deslocamentos.

Em razão dos pontos de alagamentos intransitáveis, os ônibus não circulam em importantes vias como:

  • Av. das Nações Unidas;
  • Av. Marquês de São Vicente;
  • Av. Dr. Chucri Zaidan;
  • Av. Prof Francisco Morato,
  • Av. Pres Castelo Branco;
  • Av. Santos Dumont (Bom Retiro);
  • Av. Nossa Senhora do Ó;
  • Av. Braz Leme;
  • Av. Giovanni Gronchi, Av. Interlagos;
  • Av. Santo Amaro;
  • Av. Miguel Estefno;
  • Av. 11 de Junho.

As garagens da Santa Brígida, que atende às regiões da Lapa, Barra Funda, Pirituba, Jaraguá; e da MoveBuss, que atende às regiões de Sacomã, Sapopemba e Vila Prudente, tiveram atrasos na saída dos coletivos.

Os veículos do Serviço Atende+, da garagem da NorteBuss, tiveram dificuldade na saída entre 5h e 7h15.

Os 31 terminais de ônibus municipais estão operando normalmente e não há alagamento no interior desses equipamentos. Entretanto, os ônibus têm dificuldade transitar pela cidade por causa dos acessos prejudicados pelos alagamentos.

O Plano de Ação Entre Empresas em Situação de Emergência (Paese) foi acionado a pedido da CPTM, em decorrência de problemas que afetaram a circulação dos trens na linha 9 – Esmeralda entre as estações Osasco e Santo Amaro.