Os aviões que buscarão os brasileiros na cidade chinesa de Wuhan, epicentro da epidemia do novocoronavírus, decolaram por volta do meio-dia desta quarta-feira (05) da Base Aérea de Brasília.

O tempo de viagem até a China deve ser de aproximadamente 23 horas e 30 minutos na ida e na volta. Os aviões devem chegar em Wuhan na noite de quinta-feira (6).

Acompanharam a decolagem o ministro da Defesa, Fernando Azevedo, e o Comandante da Aeronáutica, Tenente Bridadeiro do Ar Antonio Carlos Moretti Bermudez.

O VC-2 é uma aeronave de transporte presidencial, que pode transportar o peso máximo de 51.800 kg e velocidade máxima de 985 km por hora. As duas aeronaves da FAB fazem escala em Fortaleza, Las Palmas (Espanha), Varsóvia (Polônia) e Urumqi (China).

A missão de repatriação teve início na última terça-feira (04), com a decolagem de duas aeronaves Legacy que transportaram as tripulações de revezamento. As tripulações serão trocadas em Varsóvia, na Polônia, tanto na ida quanto no retorno ao Brasil.

O envio antecipado da tripulação é uma medida para que os voos sejam contínuos na ida e na volta. A tripulação que foi para Varsóvia ontem deve chegar até a cidade polonesa por volta das 13h, no horário de Brasília. Eles assumem os dois aviões VC-2 assim que eles pousarem em Varsóvia.

Além da tripulação, embarcaram para a China quatro equipes capacitadas para realizar missões de Defesa Química, Biológica, Radiológica e Nuclear.

Em voo, cada avião VC-2 terá 11 tripulantes responsáveis pelo voo e uma equipe médica com 7 tripulantes. Cada equipe conta com quatro médicos, três da FAB e um do Ministério da Saúde, dois enfermeiros e um auxiliar técnico.